Sexualiadade

 Uma vida sexual satisfatória é parte integrante da saúde de qualquer pessoa. Não é por acaso que na definição de saúde da Organização Mundial de Saúde, além do bem-estar físico, mental e social, o bem-estar sexual também está incluído. A satisfação sexual de uma mulher depende não apenas de fatores relacionais e psicológicos, mas também de uma musculatura forte e tonificada.

As Fases do Prazer Feminino

 O ato sexual feminino, definido como uma sequência de eventos fisiológicos que preparam para o coito, segue um caminho de prazer em quatro fases:
 Fase do desejo (libido): é o conjunto de fantasias e desejos sobre a atividade sexual, depende de estímulos interno ou externo e é o motor da sexualidade.
 Fase de excitação: são as modificações fisiológicas contingentes: lubrificação e dilatação da vagina e vulva, sensação generalizada de calor e tensão muscular que preparam para o prazer.
 Fase do orgasmo: é o pico do prazer sexual, que se manifesta pelas contrações rítmicas dos músculos das paredes vaginais e do assoalho pélvico.
 A fase de satisfação é a sensação de relaxamento muscular e bem-estar geral.

 Graças ao Pelve-Forte, um músculo mais tónico e contrátil permite a todas as mulheres, independentemente da idade, número de gravidez, a possibilidade física de um prazer íntimo e intenso. Descubra com Pelve-Forte, seu pequeno treinador íntimo, o prazer do bem-estar íntimo!

 

Orgasmo, Ejaculção e Ponto G

 O orgasmo feminino é clitoriano ou vaginal?
 De acordo com alguns, existe um orgasmo feminino clitoriano ou superficial,  uma expressão de sexualidade imatura, e um orgasmo vaginal ou profundo, um sinal de maturidade sexual. Segundo outros, as duas modalidades devem ser consideradas da mesma forma, estando intimamente ligadas. O orgasmo, por exemplo, pode depender dos impulsos exercidos no clitóris, no introito vaginal e no períneo, que podem posteriormente causar uma reação secundária na vagina.

 Qual é o ponto G?
 É uma área, descrita na década de 1950 pelo ginecologista alemão E. Grafenberg, localizada no interior da parede vaginal anterior, particularmente sensível a pressões profundas.
 Segundo alguns, é um tecido glandular, semelhante ao da próstata, cuja estimulação leva, durante o orgasmo, à emissão de um líquido pela uretra. Segundo outros, é a parte terminal do clitóris.
 Recentemente, por meio da ultrassonografia vaginal, foi demonstrado um espessamento da parede divisória entre a vagina e a uretra, identificada com o ponto G.

 Pelve-Forte é uma ferramenta de reabilitação do assoalho pélvico que ajuda a melhorar o tônus ​​e a contratilidade dos músculos, dando maior sensibilidade e maior satisfação sexual.

 Mesmo na menopausa, descubra Pelve-Forte, seu pequeno treinador íntimo!